A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima – APAV registou, durante o ano de 2021, o apoio a um total de 1.594 pessoas idosas vítimas de crime e de violência, o que corresponde a uma média de 4 pessoas por dia. Este sábado, dia 1 de outubro, assinala-se o Dia Internacional da Pessoa Idosa.

Quanto ao perfil da vítima, é, geralmente, do sexo feminino (cerca de 75,5%), com idades compreendidas entre os 70 e os 74 anos. Já o autor do crime é em cerca de 52,3% das situações do sexo masculino e com uma média de idades (16%) acima dos 65. Em cerca de 29% dos casos, a vítima é pai ou mãe do autor do crime.

Para assinalar o Dia Internacional da Pessoa Idosa, a APAV passou a disponibilizar para consulta a nova série estatística, sobre pessoas idosas vítimas de crime e de violência, referente ao ano de 2021.

“Reconhecendo que a violência contra as pessoas idosas constitui um problema social e de saúde pública, consideramos que o seu eficaz combate pode contribuir para um futuro mais inclusivo, onde todos sejam respeitados ao longo do ciclo de vida, nomeadamente no contexto de um envelhecimento ativo e saudável”, pode ler-se num comunicado da APAV.

A APAV apoia as pessoas idosas e as suas famílias, prestando-lhes apoio jurídico, psicológico e social e conta com a colaboração de outras instituições, públicas e privadas, e com os vizinhos e conhecidos das vítimas — “cujo papel pode ser muito importante, sobretudo na denúncia das situações de violência”. “Estes crimes não podem ser remetidos ao silêncio”, pode ler-se.

A APAV está disponível para ajudar através dos seus diferentes serviços, nomeadamente da Linha de Apoio à Vítima 116 006 — dias úteis, das 08h00 às 22h00 — número gratuito e confidencial.