Em 2020, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima recebeu um total de 1.627 casos de homens vítimas de violência doméstica, número que tem vindo a crescer de ano para ano. Recentemente, foi lançada uma campanha sobre o tema.

Contudo, “o estigma, o preconceito, o medo e a baixa auto-estima impedem muitos homens de falarem sobre o assunto e de se assumirem como vítimas” leva a acreditar que “os números reais serão muito superiores aos casos identificados”, indica um comunicado da APAV.

Com o mote “Falar é sinal de força” e com o propósito de combater o preconceito, a APAV, em parceria com a agência Pepper, lançou uma campanha que “pretende alertar para esta realidade e dizer aos homens que falar sobre o tema, e assumirem que são vítimas, é um sinal de força e não de fraqueza”. Vai estar presente em televisão, com um filme produzido pela FastForward, imprensa, mupis e em canais digitais, com peças com fotografia de André Carvalho.

A APAV presta apoio gratuito, confidencial e especializado a vítimas de todos os crimes. Está disponível através de uma rede nacional de Gabinetes de Apoio à Vítima, presente em muitas das principais cidades do país. A Linha de Apoio à Vítima, 116 006, está disponível de segunda a sexta-feira, entre as 8h00 e as 22h00. A APAV está também presente no Skype (@apav_lav) e nas principais redes sociais, como o Facebook e o Instagram.