A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) lançou em conjunto com a Guarda Nacional Republicana (GNR) e a Polícia de Segurança Pública (PSP), uma nova campanha de segurança rodoviária, “Ao volante, o telemóvel pode esperar”.

A campanha irá decorrer entre os dias de 15 e 21 de fevereiro e tem como principal objetivo alertar a população para os perigos associados à utilização do telemóvel enquanto se está a conduzir. 

O flyer da campanha realça as diferenças estatísticas e factos associadas à utilização do telemóvel durante a condução tais como: a 50 km/h, olhar para o telemóvel durante 3 segundos é o mesmo que conduzir uma distância de 42 metros com os olhos vendados, o equivalente a uma fila de 10 carros e utilizar o telemóvel durante a condução provoca um aumento no tempo de reação a situações imprevistas superior ao efeito de uma taxa de álcool no sangue de 0,8 g/l.

A iniciativa recomenda e apela a que os condutores desliguem o telemóvel, que ativem o modo silêncio, que coloquem o telemóvel no porta-luvas ou num local que não permita o acesso, para parar em local autorizado e seguro para verificar ou devolver chamadas urgentes e de tomar  a iniciativa de dizer que volta a ligar mais tarde, sempre que se aperceber que a pessoa para quem telefona está a conduzir. 

Texto elaborado por Rui Pinto, aluno estagiário da Universidade de Trás-Os-Montes e Alto Douro