Gabriel Azevedo, é natural da freguesia de Sande e São Lourenço do Douro, em Marco de Canaveses, mas ao longo de 29 anos a sua casa foi o estado de New York.

Aos 34 anos de idade, Gabriel Azevedo emigrou para os Estados Unidos da América juntamente com a esposa e três filhos para ter uma “experiência diferente”. Emigrar não era um plano do marcoense, mas a oportunidade acabou por surgir durante uma conversa com o irmão. No fundo, acabou por ir “à procura de emprego e melhores condições de vida”.

Entre 1994 e 2021, Gabriel Azevedo nunca passou o Natal na sua terra natal, mas admite que não sentiu muita diferença, porque juntava-se com os irmãos que também estavam emigrados. Para manter o espírito natalício português uma das partes mais importantes era levar o bacalhau e o cabrito até à mesa, bem como, a distribuição de presentes junto à árvore de Natal.

Gabriel Azevedo partilha que, por momentos, se esquecia que estava emigrado, também fruto de trabalhar numa companhia portuguesa na área que gostava e por ter uma “comunidade portuguesa grande e unida”.

Apesar dos largos anos nos EUA, Gabriel Azevedo teve sempre em mente regressar a “casa” na reforma. Este ano, completou 62 anos e é a primeira vez que volta a celebrar o Natal em Portugal, admite que “estou na expetativa” e mostra-se um tanto receoso: “parece-me que isto é diferente do que quando estava cá”. No entanto, apesar da falta de alguns familiares à mesa, o Natal é preenchido pelos dois netos que vão viajar dos Açores para os braços dos avós.

Apesar do regresso há tanto esperado, o casal está numa fase de adaptação porque “não estavam preparados para regressar e deixar dois filhos nos EUA”. Gabriel Azevedo, em conversa com o Jornal A VERDADE, acaba por refletir que “o que aconteceu quando fomos acontece agora quando regressamos. Quando fomos para os EUA deixamos alguns familiares, agora regressamos e falta outra parte da família”.