A Junta de Freguesia de Gondar, em Amarante, vai adquirir um Desfibrilhador Automático Externo (DAE), que é um equipamento portátil que analisa o ritmo cardíaco e aplica um choque elétrico, com o objetivo de normalizar o ciclo cardíaco e evitar a morte de uma vítima em situação de paragem cardiorrespiratória.

O dispositivo irá ficar situado nas instalações da IPSS “Bem-estar”, em Gondar, e estará disponível 24 horas por dia.

O equipamento destina-se a toda a população de Gondar e ainda poderá ser utilizada por qualquer freguesia da margem esquerda do rio Tâmega: Ansiães, Candemil, Gouveia (São Simão), Jazente, Lomba, Lufrei, Padronelo, União de Freguesias de Aboadela, Sanche e Várzea e União de Freguesias de Bustelo, Carneiro e Carvalho de Rei.

Segundo o comunicado de imprensa da Junta de Freguesia de Gondar, “o equipamento a adquirir integra desfibrilhador, elétrodos adultos/pediátricos ilimitados, caixa de proteção com alarme integrado, manutenção completa e ilimitada, que inclui assistência técnica 24 horas por dia, troca de bateria por utilização sem limite e reparação em caso de avaria”.

Doze funcionários desta IPSS irão receber uma formação acreditada pelo INEM, a título gratuito, com certificado válido por cinco anos. “Desfibrilhar é um ato médico, mas, em Portugal, pode ser delegado em não-médicos, no contexto de um Programa DAE”, pode ler-se.

A importância do dispositivo surge porque “a doença cardíaca isquémica é a principal causa de morte no mundo ocidental”, correspondendo a “mais de 60% dos episódios de morte por doença coronária”, segundo a Revista Portuguesa de Cardiologia. No caso de Portugal, anualmente, ocorrem 10 mil casos de paragem cardiorrespiratória, atualmente, apenas 3% das vítimas sobrevivem.

O Programa DAE pretende aumentar a taxa de sobrevivência para valores que podem chegar aos 74%. Assim, o desfibrilhador pretende “assegurar manobras de suporte básico de vida” após uma paragem cardiorrespiratória e até à chegada da assistência médica.

O presidente da Junta de Freguesia de Gondar, Hugo Vaz, afirmou que “este equipamento representa um elevadíssimo investimento para o orçamento de uma junta como a de Gondar”. “Mas representa, acima de tudo, aquilo que nos move: queremos estar cada vez mais próximos da população e as pessoas estão sempre em primeiro lugar”, continuou.

O desfibrilhador é certificado e licenciado de acordo com o Programa Nacional de Desfibrilhação Automática Externa (DAE) do INEM.

Texto redigido com o apoio de Daniela Lenchyna.