A fé sempre esteve presente no percurso de vida Cátia Pinheiro, uma jovem de 28 anos que, desde 2021, desempenha as funções de secretária nacional da Juventude Mariana Vicentina Portugal, “um grande desafio”.

Foi no seio de uma família católica que Cátia Pinheiro, natural de Lousada e a viver em Felgueiras desde os oito anos, nasceu e que sempre lhe incutiu a vivência e os valores da fé, “um pilar fundamental no meu percurso de vida”, sublinha a jovem.

Através da formação católica, que começou com a entrada na catequese, Cátia Pinheiro conseguiu “encontrar algumas respostas” que a direcionaram “direta ou indiretamente” o seu percurso religioso. “Reconheço esta importância na minha vida, quando sinto que estou numa Igreja viva, em que da palavra nascem as obras, nas várias ações que vamos desenvolvendo, principalmente a favor dos mais necessitados que mostram sempre que vamos na direção certa”.

Enfermeira de profissão, Cátia Pinheiro considera-se uma “privilegiada” por conseguir viver a sua fé, “sem proselitismos” na vida profissional. A enfermeira encara a profissão “como uma missão, por uma causa pelo próximo, por amor”, a mesma missão que a cativou “desde sempre” e que, hoje, vive na religião. 

Um percurso de missões

Em 2008, Cátia Pinheiro foi convidada para pertencer ao grupo de jovens da Juventude Mariana Vicentina, na paróquia do centro local de Lousada, em S. Miguel, um convite que aceitou “com muitas expectativas”.

No seu percurso, a jovem foi percebendo que a fé “nos capacita para aceitarmos desafios cada vez maiores”. E foi com esse pressuposto que, em 2014, integrou o conselho Regional Norte, da Juventude Mariana Vicentina, desempenhando o cargo de vogal de imprensa, acabando por ser eleita presidente Regional Norte entre o ano de 2019 e 2021.

“Um grande desafio” chegou em 2021, quando foi eleita secretária nacional da Juventude Mariana Vicentina Portugal e que desempenha ainda hoje.

A missão constitui-se um dos pilares da Associação e agora também na vida de Cátia Pinheiro. Em 2010 realizou o primeiro campo de missão, na casa das irmãs hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus, em Braga, “uma experiência que me marcou e foi o ponto de partida para descobrir o espírito missionário”, confessa a jovem.

O projeto de missão Ad’Gentes, “Renascer para a Esperança, em Moçambique, da JMV, “renasceu” em setembro de 2016, o momento que considerou “o certo para embarcar e viver o sonho que desde cedo surgiu” e que viveu durante seis meses.

Acreditando que a missão “deve nascer dentro de casa”, Cátia Pinheiro participa frequentemente nas atividades de missão propostas do centro local, “direcionadas aos mais fragilizados da paróquia, como a visita aos idosos e doentes, distribuição de cabazes”, conta. 

O percurso missionário “foi também enriquecido” com experiências internacionais, nas quais Cátia Pinheiro partilhou a fé “com jovens de todo o mundo” no Encontro Vicentinos (EIJV) e na Jornada Mundial da Juventude (JMJ): no ano de 2011 em Madrid; 2013 em Belo-Horizonte e Rio de Janeiro; 2016 na Polónia; e em 2019 no Panamá. Encontros que aguarda “ansiosamente” por receber em Portugal e na sua cidade.

“Nesta época é ainda mais fundamental mantermos a nossa fé”

Cátia Pinheiro

Nos tempos “exigentes” que vivemos, Cátia Pinheiro acredita que “é ainda mais fundamental mantermos a nossa fé, principalmente como Igreja viva pronta a servir”.

Nesta fase de “voltar à normalidade”, a missionária  gostaria que todos os jovens “redescobrissem as suas motivações e a alegria de uma vida cheia de sentido. Que vivam a sua juventude em pleno, saiam do sofá e que tirem partido de tudo de bom que ela nos traz”.

Cátia Pinheiro convida todos os jovens a prepararem-se para a Jornada Mundial da Juventude de 2023, que vai decorrer em Lisboa, em que irá receber jovens de todo o mundo, “todos por um único e grande motivo”, finaliza.