Maria Leonor Vieira, natural de Amarante, foi a jovem escolhida para representar a paróquia de São Miguel de Vila Caíz, integrada na vigararia de Amarante, na organização das Jornadas Mundiais da Juventude, que irão decorrer de 1 a 6 de agosto de 2023, em Lisboa.

De 1 a 6 de agosto de 2023 a jovem Maria Leonor Vieira irá representar a paróquia de São Miguel de Vila Caíz, integrada na vigaria de Amarante. Escolhida para representar a vigararia na organização das Jornadas Mundiais da Juventude a jovem irá assumiu o papel de “mensageiro” e pede a “todos os paroquianos, principalmente aos mais jovens” que a apoiem na preparação para as jornadas.

A representação nas jornadas “não foi uma escolha”, mas como a própria nos diz, a sua “forma de estar como cristã” foi fundamental. Com a atribuição deste papel Maria Leonor Vieira diz-nos ter-se sentido “honrada embora com diversas expectativas e receios”.

A religião sempre esteve “muito presente” na vida da jovem que, desde de muito nova, foi “incentivada a ser ativa” na comunidade paroquial. “Completei todos os anos de catequese, faço  parte do grupo coral, fui acólita e, neste momento, assumo um dos papéis que mais relevância tem na minha vivência religiosa, ser catequista e estar no COV”.

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ) é um encontro dos jovens de todo o mundo com o Papa. “É, simultaneamente, uma peregrinação, uma festa da juventude, uma expressão da Igreja universal e um momento forte de evangelização do mundo juvenil”, explica Maria Leonor Vieira acrescentando que se apresenta como “um convite a uma geração determinada em construir um mundo mais justo e solidário. Com uma identidade claramente católica, é aberta a todos, quer estejam mais próximos ou mais distantes da Igreja”.

O evento acontece todos os anos a nível diocesano, no Domingo de Cristo Rei, desde 2021. A cada dois, três ou quatro anos ocorre um encontro internacional, numa cidade escolhida pelo Papa, sempre com a sua presença. Reúne milhares de jovens para celebrar a fé e a pertença à Igreja. 

Como nos explica a jovem, as jornadas visam proporcionar a todos os participantes uma experiência de Igreja universal, “fomentando o encontro pessoal com Jesus Cristo. É um novo impulso à fé, à esperança e à caridade de toda a comunidade do país de acolhimento. Tendo os jovens como protagonistas, a Jornada Mundial da Juventude procura também promover a paz, a união e a fraternidade entre os povos e as nações de todo o mundo”.

Maria Leonor Vieira não tem dúvidas de que “a fé deve estar sempre presente na nossa vida, independente das circunstâncias, porque de facto para além de toda a ajuda que se possa disponibilizar, a oração pela paz não deixa de ser menos importante”

Ser parte integrante da organização das jornadas é para a jovem, a nível pessoal e espiritual, “muito importante” pois estar com outros jovens na preparação “do maior acontecimento religioso em Portugal alarga os horizontes”.

A todos os jovens católicos Maria Leonor Vieira deixa uma mensagem de esperança e positivismo. “Não tenhais medo, sede jovens de fé”.