Florbela Couto, natural da freguesia de Rosém, do concelho de Marco de Canaveses, dá aulas de equitação a crianças com necessidades especiais e sente-se uma “profissional realizada”

A paixão pelos cavalos “já durava há algum tempo”, mas foi na formação de Gestão Equina que Florbela Couto percebeu que esse seria o seu futuro profissional. Durante o curso de gestão, teve oportunidade de dar “algumas aulas” no decorrer de “algumas atividades que eram realizadas com alunos que visitavam a escola”, explica a jovem de 23 anos.

Em 2018 começou a dar aulas de equitação a crianças com necessidades especiais e a paixão perdura desde aí. Atualmente, Florbela Couto dá aulas de equitação na vertente desportiva “aos alunos sem qualquer tipo de patologia”, mas também leciona a vertente da equitação adaptada a crianças “com uma patologia e que são completamente funcionais”.

O gosto pela área fez-lhe complementar a formação com um curso técnico superior de cuidados veterinários.

Hoje, considera-se uma profissional “feliz e realizada” num trabalho onde “tudo é gratificante, principalmente a evolução que, apesar de não ser notória de imediato, ao longo do tempo se vai percebendo”

As crianças ficam “felizes nas atividades com os cavalos” e, por isso, Florbela Couto recomenda a todos os pais que inscrevam os filhos nesta terapia “ainda pouco falada porque muitas vezes desconhecem ou pensam ser muito cara”.

Para além de acompanhar a evolução dos alunos, a jovem revela a satisfação de “trabalhar ao ar livre, ter contacto com pessoas e a natureza e interagir com os animais, com todas as responsabilidades” que a profissão acarreta.

Para Florbela Couto o bem-estar do animal “sobrepõe-se a tudo o resto”.