Publicidade

Hugo Camelo, natural de Amarante, decidiu optar por um caminho que considera “diferente” ou, pelo menos, “incomum”. O golfe entrou na sua vida quando tinha nove anos, pelo desporto escolar do Colégio de São Gonçalo de Amarante. A capacidade de foco, a aplicação da técnica e os passos estratégicos levaram Hugo Camelo a apaixonar-se, de imediato, pela modalidade. 

Enquanto jovem ambiciona “transmitir o que é o golfe” e, ainda este ano, regressar ao Campeonato de Mundo de Portugal. “A equipa é constituída por três jogadores e o objetivo principal é qualificar-nos pelo ranking mundial. O campeonato vai ser no Dubai”.

Hugo Camelo acrescenta que “o golfe não é visto da maneira que ele é, devido à falta de conhecimento e por não estar tão exposto como, por exemplo, o futebol”. No entanto acredita que num futuro próximo será “um desporto que vai crescer muito. Aliás, em Amarante há mais miúdos e mais pessoal velho a jogar o que é importante. A modalidade tem crescido em toda a região”. 

O jovem amarantino acredita também que as escolas, incluindo as aulas de educação física, têm um papel importante na divulgação da modalidade e dá como exemplo o concelho de Paredes. “Paredes é um exemplo disso, eles enchem dois autocarros e levam os miúdos a experimentar a modalidade, se houvesse mais escolas como Paredes, acho que a modalidade ia dar um passo muito grande”. 

O próprio Hugo, durante o seu percurso escolar, aproveitou cada momento para “dar voz ao golfe e romper com alguns estigmas. Sempre tentei transmitir o que era o golfe. Na escola quando as apresentações orais eram tema livre eu falava sempre da modalidade e cheguei a ter alguns colegas a experimentar”.

Apesar de fazer parte do Club Golf Miramar desde 2020, Hugo Camelo começou o seu percurso no Golf de Amarante, de onde é natural, e ainda passou durante dois anos pelo Paredes Golfe Clube.

Aos 20 anos, o jovem encontra-se a tirar o curso de treino desportivo para se tornar “atleta profissional em breve”. Para isso, tem treinado seis a sete vezes por semana e cerca de seis horas por dia. 

Para se atingir bons resultados garante que é necessário “treinar muitas horas. É um jogo complexo, exige foco, estratégia, paciência, técnica. No fundo, é também um desporto mental”. 

Em 11 anos, Hugo Camelo jogou no internacional Portugal e conquistou o 4.º lugar, em 2022 foi vice-campeão a nível nacional de absoluto e jogou no campeonato do mundo em Paris.