Entre os dias 19 e 22 de maio, vai arrancar a 55.ª edição do Vodafone Rally de Portugal, em 21 classificativas que vão ser disputadas no norte e centro do país, na prova que vai ser também o palco das comemorações dos 50 anos do Campeonato Mundial de Ralis (WRC).

A prova (a quarta do calendário do Mundial de Ralis) marca a estreia em pisos de terra “dos novos e ultracompetitivos modelos de Rally 1 (a categoria de topo do WRC), com tecnologia híbrida e movidos a combustível sustentável, fazendo parte das ligações em sistema elétrico, apontam o caminho do futuro dos carros de ralis”, refere a organização em comunicado. 

No total, a edição deste ano integra 21 classificativas, num percurso total de 1.535,35 quilómetros, 343,30 dos quais disputados ao cronómetro. 

O programa do evento começa na quinta-feira, dia 19 de maio, com o Shakedown, em Baltar, Paredes. Ainda no mesmo dia, decorre Cerimónia de Partida e a Super Especial em Coimbra, com início marcado para as 19h03. Esta é a primeira vez que o programa da prova integra três Super Especiais, duas delas urbanas.

Na sexta-feira, dia 20 de maio, disputam-se “quatro das mais emblemáticas classificativas do centro do país: Lousã, Góis, Arganil e Mortágua”. Depois, ao final da tarde (19h03), tem lugar a Super Especial de Lousada.

No sábado, dia 21 de maio, as equipas têm pela frente três duplas passagens pelas classificativas de Vieira do Minho, Cabeceiras de Basto e Amarante, esta última com partida de Mondim de Basto. O final do dia fica marcado pela Super Especial do Porto, na Foz, com início previsto para as 19h03.

No domingo, dia 22, os concorrentes têm pela frente os troços de Felgueiras, Montim e Fafe, sendo que a segunda passagem pela Especial de Fafe volta a ter o estatuto de Power Stage – “ou seja, a classificativa que premeia os cinco pilotos mais rápidos com pontos adicionais, independentemente de terminarem nos lugares pontuáveis para o Mundial”

Paralelamente, vão ainda decorrer as competições WRC2 (Open, Junior e Masters) e WRC 3 (Open e Junior), que voltam a servir de apoio à competição principal, além das competições monomarcas Peugeot Rally Cup Ibérica e Toyota Gazoo Racing Iberian Cup.  

A Exponor, em Matosinhos, vai acolher o centro de operações e o parque de assistência das equipas participantes, sendo o local “onde os adeptos podem ver de perto os protagonistas do Vodafone Rally de Portugal”, com entrada gratuita.

Foto: Vodafone Rally de Portugal

Para assinalar os 50 anos do Campeonato Mundial de Ralis, foi escolhida a prova portuguesa para assinalar a data e o Automóvel Clube de Portugal “respondeu ao desafio com um verdadeiro museu-vivo de alguns dos mais emblemáticos carros da história do Campeonato do Mundo de Ralis”, com modelos como o Fiat 131 Abarth, o Alpine-Renault A110, o Lancia Rally 037, o Lancia Delta S4, o Lancia Delta Integrale, o Opel Ascona 400 ou o Audi Quattro, que vão estar em exposição permanente na Exponor, com acesso gratuito. 

São ainda várias “as lendas que conduziram muitos destes modelos” que vão marcar presença nesta edição do Vodafone Rally de Portugal: Markku Alén, Marcus Grönholm, Carlos Sainz, Miki Biasion, Walter Röhrl, Ari Vatanen, entre outros.