Natural de Lousada, a jovem Nii Ribeiro, como é conhecida artisticamente, foi uma das cinco vencedoras do passatempo Noble Duetos.

Atriz de profissão mas com o sonho da música sempre por perto, Nii Ribeiro foi uma das cinco vencedoras do passatempo #rfmnobleduetos. Foi através de uma amiga que conheceu o passatempo e decidiu inscrever-se “sem qualquer tipo de expectativas”, confessa.

Quando participou Nii Ribeiro não valorizou muito, porque “acreditava que não ia ficar”, até que recebeu a confirmação de que era uma das selecionadas para “viver o início de um grande sonho”. A atriz é formada em teatro, mas o gosto pela música surgiu bem antes da representação, aliás foi a sua “primeira paixão”, adiada pela timidez e pelo “medo de cantar em público”.

Sem qualquer formação na área da música, apenas com uma experiência de três meses na licenciatura, subiu pela primeira vez a um palco em 2014 para fazer aberturas de saraus de dança. Mais tarde, com 18 anos, e apesar de “não ter nenhuma experiência de palco”, participou num programa de televisão, o Ídolos. Mas foi a  Licenciatura em Teatro que a tornou “mais confiante e desinibida” e a “perder a timidez”.

O sonho da música começa agora depois de ter sido uma das cinco vencedoras do passatempo da RFM, #rfmnobleduetos, que lhe deu a oportunidade de gravar o dueto da música “I do” do novo disco de Noble, o “Secrets”. A gravação da música do concurso, no estúdio da RFM, foi um “momento marcante e inesquecível” para Nii Ribeiro.

Uma autodidata com um ouvido atento à música que a rodeia, a lousadense confessa estar a viver uma realidade “estranha num mundo completamente novo e diferente” do que está habituada. “Tem sido incrível começar a experienciar um bocadinho este mundo da música”, conta a jovem.

Na sua experiência enquanto atriz a música vai estando presente nos espetáculos, mas será agora vivida com mais intensidade, com a gravação do EP “Eletra” da banda que a jovem integra. Com a perspetiva do lançamento ainda este ano, Nii Ribeiro espera poder “receber e dar muita música”.

Pensar num futuro sem a música ou sem o teatro não é uma opção para a jovem, que agradece ao músico Noble e à editora Metrosonic Records pela “experiência incrível” que tem vivido.